5 ideias para captar recursos de pessoa física

captar-recursos-de-pessoa-fisica

O Terceiro Setor já descobriu há tempos que é preciso diversificar suas fontes de recursos. E nós entendemos: em uma economia instável, é difícil depender de poucas opções de financiamento. Com isso, as doações de pessoas físicas estão sendo cada vez mais valorizadas.

Para captar recursos de pessoas físicas, algumas ações podem ser trabalhadas de forma leve e sem precisar de muito (ou de nenhum) investimento. Além disso, muitas das dicas que daremos a seguir também ajudam a fortalecer a imagem e a presença de sua organização por aí. Então, sem mais delongas, apresentamos 5 ideias que irão ajudá-lo a captar recursos de pessoa física.

1 – Captação face-to-face

Apesar de não ser exatamente uma novidade, a captação de recursos cara a cara só está se tornando comum há pouco tempo nas grandes cidades do Brasil. Acredita-se que essa forma de captar tenha surgido ainda na década de 90, por uma iniciativa do Greenpeace na Áustria, e foi se espalhando por países da Europa e também chegou logo aos Estados Unidos.

E ela é muito simples: captadores vão às ruas para conversar com as pessoas, explicam a importância da causa e procuram por doadores recorrentes para a organização, que efetuam a doação via cartão de crédito. Parece difícil conseguir resultados somente através do diálogo? A captação face-to-face tem mostrado que não. Segundo a reportagem “Arrecadação ‘face-to-face’ aumenta captação de recursos de ONGs no Brasil”, do portal Bol, esse tipo de arrecadação traz uma boa taxa de retenção de doadores, além de mostrar o trabalho da organização para um grande número de pessoas.

2 – Nota fiscal

Através dos Programas Nota Fiscal Paulista e Nota Fiscal Paranaense, por exemplo, qualquer pessoa pode doar os créditos dos cupons fiscais de suas compras para ONGs cadastradas, nos estados de São Paulo e do Paraná. Apesar de parecer simples – basta deixar a nota sem o número do CPF e entregá-la para a organização – o prazo de validade de 30 dias para registro dos cupons faz com que muitos deles não cheguem a tempo nas ONGs.

A boa notícia é que existem aplicativos como o Cupong para facilitar a vida de quem doa e, por consequência, de quem recebe os créditos de notas fiscais! Essas soluções funcionam de forma semelhante: para doar uma nota, não há custo nenhum e basta preencher um formulário no aplicativo ou no site, escolhendo a organização que receberá o valor do seu cupom. Para as ONGs que desejam se inscrever para receberem doações, essas plataformas oferecem gestão, processamento e envio das notas (e também possuem planos gratuitos).

É a tecnologia dando uma mãozinha para as boas ações!

3 – Bazar

Sim, a internet é uma ferramenta fantástica de captação de recursos para qualquer organização. Mas quando falamos de pessoas, eventos físicos fazem uma grande diferença para atrair e criar vínculos. Por isso, o bazar é uma ideia que une um baixo investimento a uma ótima maneira de conseguir contribuições para sua causa.

Comece com um tema para sua venda: artigos para casa, brechó, livros ou uma feira com todas essas opções juntas? Depois de definir o conceito do bazar, é hora de ativar sua rede de voluntários e amigos pedindo doações. Então, comunique-se o quanto puder. Faça um post no blog da organização, crie um evento no Facebook e alimente-o com fotos de algumas doações que servirão como um aperitivo do bazar, faça um convite e envie para os contatos cadastrados na sua newsletter.

No dia do bazar, certifique-se que o local escolhido é agradável para que as pessoas possam circular com tranquilidade e passar um tempo de qualidade. Providencie música, organize os itens para venda de um modo interessante e se houver pessoas ou empresas dispostas a oferecer itens para alimentação dos participantes, melhor ainda!

4 – Eventos esportivos

Assim como um bazar, eventos esportivos são boas oportunidades para agir offline em busca de recursos para sua organização. Mas calma, não vamos dizer que seria simples e barato organizar uma corrida ou um campeonato de skate. A ideia aqui é unir-se a algum time, academia, assessoria de corrida ou mesmo loja de esportes da sua cidade para organizar em conjunto um evento onde parte dos lucros podem ser revertidos para sua causa.

5 – Parcerias com bares e restaurantes locais

Quantas cervejarias ou hamburguerias existem na sua cidade? Esses locais são parceiros em potencial para eventos de degustação! E, nesse caso, a troca é mútua: sua organização ajuda a atrair público para o lugar e uma parte das vendas do dia é direcionada para a causa. As pessoas também se sentirão estimuladas a participar, sabendo que estarão contribuindo com uma iniciativa social. Essa ideia pode funcionar bem em períodos do ano em que o movimento costuma diminuir, como no inverno.

Gostou das nossas ideias? Quais delas sua organização quer colocar em prática? Conte pra gente nos comentários!