Voluntariado empresarial: como mobilizar colaboradores com a ajuda do meio digital

voluntariado-empresarial

Empresas que adotam programas de voluntariado geram impactos que ultrapassam sua responsabilidade social. O cenário interno também se modifica, com o desenvolvimento de habilidades pessoais e profissionais entre os colaboradores e com a criação de uma satisfação maior dentro do trabalho, além de ser um fator de atração de funcionários.

A pesquisa Além do Bem – um estudo sobre voluntariado e engajamento, publicada pela empresa Santo Caos em parceria com o Bank of America Merrill Lynch, investigou as relações entre o voluntariado e o engajamento dos colaboradores, assim como os benefícios e os desafios dessa prática dentro do ambiente corporativo brasileiro. Para o estudo, 828 pessoas atuantes em ONGs e em empresas de 29 diferentes setores econômicos foram entrevistadas.

Confirmando as ideias que trouxemos no início do texto, o estudo Além do Bem mostra que:

  • colaboradores que fazem parte de programas de voluntariado são cerca de 16% mais engajados;
  • entre os gestores, 89% afirmam que o voluntariado melhora o lado profissional dos funcionários e 81% também percebem mudanças positivas na rotina da empresa;
  • 68% das pessoas entrevistadas mencionaram um bom programa de voluntariado como um diferencial importante na hora de escolher um emprego.

Mas a mobilização e o engajamento dos colaboradores nem sempre é fácil e esbarra em um grande desafio: encontrar as melhores formas de atuação dos voluntários. Estas escolhas irão depender tanto dos interesses quanto da disponibilidade das pessoas.

E é sobre elas que iremos tratar no texto de hoje, mostrando como o meio digital apresenta alternativas que sua empresa pode incorporar ao programa de voluntariado para ampliar seu impacto dentro da organização.

Abordagens digitais para ampliar o engajamento dos colabores no seu programa de voluntariado

Quando perguntados sobre os principais motivos para deixarem de ser voluntários, 56% dos entrevistados na pesquisa Além do Bem elencaram a falta de tempo como o primeiro entrave. Em seguida, vieram a distância, a falta de motivação e a dedicação exigida.

Ou seja, é imperativo que as empresas priorizem a flexibilidade quando estiverem estruturando as possíveis ações de seus programas de voluntariado. E a tecnologia está aí para suprir essa necessidade: quando falamos em abordagens digitais para o voluntariado, fatores como a falta de tempo, a distância e a dedicação exigida deixam de ser barreiras para seus colaboradores.

Mas quais são os caminhos a serem explorados neste sentido? Explicaremos duas ideias a seguir!

Micro voluntariado

O micro voluntariado é uma tendência crescente em todo o mundo. Podemos entendê-lo como atividades voluntárias simples, sem comprometimento a longo prazo e que demandam menos de 30 minutos para serem cumpridas. Exemplos? Assinar uma petição online ou compartilhar uma campanha nas redes sociais.

Muitas vezes, o micro voluntariado é confundido com o voluntariado digital (falaremos dele no próximo tópico). Mas ações voluntárias simples também podem acontecer offline: fazer um bolo para uma venda de caridade, participar de um flashmob ou denunciar uma situação de injustiça social também podem ser entendidos sob essa perspectiva.

O que acontece é que grande parte do micro voluntariado realmente acontece online. De acordo com uma pesquisa do Help from Home, cerca de 80% dessas ações são realizadas pela internet. E é essa possibilidade que a sua empresa pode pensar em incluir no programa de voluntariado.

Se a organização contar com um portal de voluntariado, pode criar dentro dele uma seção com atividades de micro voluntariado para que as pessoas as executem até mesmo dentro do horário de expediente. Ao final do mês, nossa dica é mensurar o impacto das ações, para que seus colaboradores vejam que estão fazendo a diferença mesmo com poucos minutos de dedicação por dia ou por semana.

Se precisar de ideias, a página do Help from Home é uma boa fonte de inspiração!

Voluntariado digital

Mais robusto do que o micro voluntariado, o voluntariado digital é um ótimo meio para engajar colaboradores, pois nele as habilidades pessoais e os interesses de cada funcionário são conectados a causas sociais e todo o trabalho é feito a distância, bastando um computador e uma conexão à internet.

Vamos a exemplos práticos de atividades comuns no voluntariado digital para que a ideia fique mais clara:

  • consultoria em gestão de projetos para organizações;
  • trabalhos que envolvem Tecnologia da Informação, como a criação de sites ou aplicativos;
  • mentoria e treinamento em programas de educação;
  • demandas de comunicação digital, como a criação de conteúdo para blog e redes sociais;
  • consultoria para o gerenciamento de informações administrativas, como planilhas de orçamento e controle de pessoal;
  • atividades que envolvem a tradução de documentos ou textos;
  • demandas de design, como a criação de uma identidade visual;
  • organização de campanhas de captação de recursos online, com o apoio de plataformas como a nossa aqui da Doare.

É um universo e tanto a ser explorado, concorda?

Para saber por onde começar, você pode consultar a Online Volunteering, plataforma global de voluntariado digital da ONU que conecta organizações e voluntários, com diversas oportunidades de atuação.

Aqui na Doare, nós também criamos ações de impacto social para empresas conscientes. Converse com a gente para que possamos ser parceiros nessa caminhada!